Fagulhas de um velho formidável


Faria bem lembrar Mário Quintana (1906-1994) não só no ano do seu centenário. Na verdade não faz nem muito sentido usar a contagem tão sisuda de um tal tempo com o qual nosso poeta tanto brincou. Sim, porque viver pra ele era mais do que contar o tempo passar. Era bem mais que isso. Também era bem menos que isso ao mesmo tempo. Suas poesias tornam a vida às vezes grandiosa, às vezes sutil.

É uma baita pretensão tentar dar qualquer idéia do que era Mário Quintana num texto assim, mal acabado e morrendo de sono. Mas foi por ocasião da publicação do jornal Ensaio, dos alunos de Jornalismo da Ulbra, em Canoas, que resolvi despertar para algumas pérolas deste senhor. Dois pontos.

“Quem bebe por desgosto é um tolo. Só se deve beber por gosto.”

“A alma é essa coisa que nos pergunta se a alma existe.”

“Eu amo o mundo. Eu detesto o mundo. Eu creio em Deus. Deus é um absurdo. Eu vou me matar. Eu quero viver. Você é louco? Não, sou poeta.”

“Esse mundo pode ser que não preste, mas é tão bom de olhar.”

“O sorriso enriquece os recebedores sem empobrecer os doadores.”

“Estes, os que atravancam meu caminho… Eles passarão, eu passarinho!”

Anúncios

5 Comentários

Arquivado em Genéricos

5 Respostas para “Fagulhas de um velho formidável

  1. Pois é amigo, gosto especialmente dessa terceira fagulha. Eu não sou poeta, mas consigo sentir tantas coisas diferentes em um tempo recorde. Maluca? não, humana. Demasiadamente humana.

    E o mundo não é só bom de olhar.. é bom de sentir, de tocar, de viver!

    Enfim, Mario Quintana é sempre Mario Quintana.

    Beijosss

  2. Justo, justo. Somos dois a sentir tudo em demasia. Mas eu não me sinto muito humano, não. Pelo contrário, às vezes me sinto meio por fora desse jogo, sem entender as regras, tropeçando na bola.
    Eu, a que mais gosto do Quintana é a última. Tem a ver com o jogo que falava…
    Beijo Jac.

  3. This post has been removed by the author.

  4. Vim comentar de novo hoje…
    Sentir em demasia. aprender em demasia. Lembra nossa conversa? Chega de aprender! Amigo, quero viver!

    Às vezes sinto que coisas que podem ser tão simples são assim, estupidamente difíceis. Mas, sei que um dia nós seremos recompensados. Eu e tu. Seremos sim 🙂

    beijos sempre carinhosos.
    01/05/06

  5. Lizi

    “Suas poesias tornam a vida às vezes grandiosa, às vezes sutil”

    Admiro quem consegue, com um verso, causar um pensar… um tentar… um rir…um sentir…
    Principalmente um sentir!
    Um perceber que estamos vivos e que uma simples vírgula na maneira de ver a vida pode mudá-la.
    Pra mim, Quintana era isso!
    Era, com ironia, perceber a vida!

    Acho que nesse pequeno texto, tu conseguiste dizer muito!
    Isso que tu tava morrendo de sono…
    Mal acabado?? Pra que acabar??

    Bjos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s