A última poesia

Foi na noite que a vida encanou todinha
Naquele lugar
E os pés esquentavam aos poucos lá longe
E a ponta do nariz gelava aos poucos ali perto
Que lembrou da ausência
E a dor chegou
E foi tanta que transbordou
E vazou
Gotas que foram longas
Que correram dali
Num caminho úmido
Até desaparecerem entre a malha
Do blusão
E se foi
Naquele lugar
Foi na noite que a vida encanou todinha
E se foi
Naquele lugar
Só quando o sono chegou
E encontrou um corpo
De pés quentes
Nariz gelado
E o blusão, apesar de aquecido,
Molhado

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Genéricos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s